GHIOCEL, DE MARA UNGUREANU, VENCEU SEGUNDA EDIÇÃO DO C(H)ORTA

Festival de Curtas organizado pela Associação de Jovens da Ilha do Faial decorreu entre 26 e 29 de dezembro, no Teatro Faialense

 

Chegou ao fim no passado dia 29 de dezembro a segunda edição do C(H)ORTA – Festival de Curtas Metragens do Faial, que durante quatro dias levou o Cinema ao Teatro Faialense.

De entre os 51 filmes a concurso, o júri escolheu a curta-metragemGhiocel, de MaraUngureanu, como melhor filme na categoria de animação, e melhor filme do festival.

O melhor documentário do festival foiLucília dos 9 aos 12, de Jeanne Waltz, ao passo que, na categoria “ficção”, a escolha recaiu sobreUm Dia, de Henrique Prudêncio.

Neste festival participaram quatro filmes produzidos por jovens faialenses. A escolha do júri para melhor filme faialense recaiu sobre a curtaLeo, de Herman Delgado.

Também o público presente nas duas sessões de competição do festival pôde votar no seu filme favorito. O filme mais votado, que levou para casa o prémio do público, foiO Autor, de Rui Neto.

Na cerimónia de encerramento do festival, a AJIFA quis homenagear o realizador Pedro

Cabeleira, convidado para integrar o júri desta edição do C(H)ORTA, bem como para mostrar no Faial a sua primeira longa-metragem,Verão Danado,que recebeu uma menção especial no 70.º Festival Internacional de Cinema de Locarno. Pedro Cabeleira recebeu, assim, o prémioC(H)ORTA de Honra. Na ocasião, o jovem realizador deixou palavras de incentivo à organização do C(H)ORTA, destacando a qualidade do festival e o seu potencial de crescimento.

A cerimónia de entrega de prémios do C(H)ORTA ficou ainda marcada por uma palestra, a cargo do Dr. Jorge Costa Pereira, sobre os primórdios do cinema na ilha do Faial, e por um pequeno concerto pela banda Turtle Shoes, dedicado às bandas sonoras da sétima arte.

 

C(H)ORTA terá terceira edição em 2018

 

O balanço positivo desta segunda edição do festival, motivado principalmente pela enorme adesão de jovens realizadores de todo o país, leva a que a terceira edição do mesmo seja já uma garantia. Mais do que a vontade da AJIFA em dar continuidade a este projeto em 2018,

ficou também a promessa, por parte do vereador da Câmara Municipal da Horta com o

pelouro da Cultura, Filipe Menezes, de que o Teatro Faialense estará de portas abertas para, mais uma vez, acolher este evento. Também o diretor regional da Juventude, Lúcio Rodrigues, deixou palavras de incentivo à AJIFA, garantindo o apoio daquele departamento governamental a uma próxima edição do festival.